14 maio 2012

Millenium 1 e Suas Adaptações Cinematográficas

A minha mais recente paixão literária é a trilogia Millenium de Stieg Larsson, pra quem não sabe do que se trata, um breve resumo:  A trilogia é de um jornalista sueco, Stieg Larsson, onde tem como personagens principais a hacker tatuada, Lisbeth Salander, e o jornalista investigativo, Mikael Blomkvist. Os livros abordam de assuntos como tráfico e abuso de mulheres, corrupção no mercado financeiro, abuso de poder e movimentos neofascistas. Os personagens são complexos e beirão a humanidade.
Como a maioria dos best-seller a primeira parte da trilogia Millenium  ganhou versão cinematográfica,não apenas uma mas duas: uma sueca e outra hollywoodiana. Eu como fã assisti as duas e resolvi fazer um post comparativo, em que colocarei na balança as duas versões e direi qual considero melhor.
OBS: SE VOCÊ NÃO QUER TER SPOILERS NÃO CONTINUE A LER ESSE POST!

Sinopse: Harriet Vanger desapareceu há 36 anos, sem deixar pistas, em uma ilha no norte da Suécia. O local é de propriedade exclusiva da família Vanger, que o torna inacessível para a grande maioria das pessoas. A polícia jamais conseguiu descobrir o que aconteceu com a jovem, que tinha 16 anos na época do sumiço. Mesmo após tanto tempo, seu tio Henrik Vanger ainda está à procura e decide contratar Mikael Bomkvist , um jornalista investigativo que trabalha na revista Millennium. Bomkvist, que não está em um bom momento por enfrentar um processo por calúnia e difamação, resolve aceita a proposta e começa a trabalhar no caso. Para isso, ele vai contar com a ajuda de Lisbeth Salander, uma hacker, investigadora particular incontrolável e anti social.

Versão Sueca (2009):



Versão Hollywoodiana (2012):





Lisbeth Salander:
Antes de ler o livro eu assisti o filme (versão hollywoodiana) e isso pode ter causado uma imagem pré-definida da Srta, Salander, então você leitor que vai decidir se a minha opinião é válida ou não.
Muito bem, as duas atrizes Noomi Rapace e Rooney Mara tiveram uma caracterização perfeita, as tatuagens, piercings, cabelo e figurino estavam impecáveis, mas o corpo e a aparência de criança, que Stieg Larsson sempre enfatiza nos livros, com toda certeza foi mais aparente em Rooney. Além disso (não desmerecendo a atuação da atriz) Noomi tem um ar sensual que ela não consegue disfarçar, podemos ver isso na sua atuação em Sherlock  Holmes 2 (ela é a cigana Simza) e Lisbeth não é sensual, ela atraí as pessoas por ser frágil (fisicamente) e exótica.


Os dois filmes são longos (tem 2 hras e meia) até porque o livro também é grande (522 págs) se o filme fosse menor, cortaria partes essenciais. Ele cortam cenas e alguns personagens, alguns até são os mesmos como: Anita Vanger (prima de Harriet), nos filmes ela está morta, o filho de Harriet Vanger, a irmã de Mikael , hacker amigo da Lisbeth. Alguns eu acredito que não deveriam ter sido cortados como a filha de Mikael (versão sueca), ela é responsável pela descoberta do mistério dos números e letras da agenda de Harriet, Cecilia Vanger (versão hollywoodiana), ela é amante de Mikael e suspeita da morte de Harriet.
Outros detalhes me incomodaram nos dois longas: 
1° A quebra do computador de Lisbeth, nos dois filmes ela luta com uns caras na estação de metro, sei que isso foi para mostrar como ela boa de briga, mas o computador foi quebrado por um descuido dela, e o carro passou em cima dele.
2° O presente que Lisbeth compra para Mikael, na versão hollywoodiana o painel do Elvis é trocado por uma jaqueta de couro e na versão sueca ele nem é citado.
3° Os Flashbacks ,da versão sueca, que Mikael tem sobre a sua infância com Anita e  que Lisbeth tem da infância, quando queimou o pai
4° A mãe de Lisbeth pedindo desculpas à ela (versão sueca), isso nunca foi citado no livro e no outro ela nem sequer existe.
5° O roubo que Lisbeth faz no final da história nem aparece na versão de 2009, sendo que essa é uma das melhores partes do livro.

Sei que expus muitos defeitos, vão dizer que isso é reclamação de fã cricri que gosta de adaptações perfeitas, como O Senhor do Anéis. Mas uma adaptação me oncomodou mais que a outra, e foi a sueca, porque eles resolveram inserir fatos que não estão presentes nos livros, simplesmente para fazer gancho com o próximo da trilogia ou para que a "simpatia" de Lisbeth por Mikael ficasse mais explicita. Eles acabaram perdendo cenas e fatos importantes do livro para dar ao público maior entendimento das emoções internas dos personagens. Sem contar que Lisbeth fica claramente aficcionada por Mikael, e eles sempre querem dar crédito das descobertas a ela, sendo que não é bem assim na história original.

Entendo que os filmes tem que ser mais focados e não podem se prender a pequenos detalhes, mas mudar o fluxo da história é matar a criação do autor. Se alguém quiser entender a complexidade de cada personagem e saber todos os detalhes da história só o livro mesmo te dá essa chance, mas se você não gosta de ler e quer algo mais fiel, na minha opinião, a versão hollywoodiana é a melhor pedida, já que foi mais presa ao que foi escrito por Larsson, mesmo que em alguns pontos haja mudanças.

Sei que o post ficou enorme e até um pouco confuso, mas eu queria muito escrever sobre esse assunto

Boa Leitura ou Filme
Até o próximo post!


Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo