30 dezembro 2013

TOP 5: Melhores Leituras de 2013

Devido a minha viagem para a praia, não poderei fazer novos posts, então resolvi deixar algumas retrospectivas até a minha volta. Para começar a maratona retrospectiva nada mais justo do que um TOP 5 dos livros que mais gostei de ler nesse ano. Foi quase uma missão impossível escolher só 5, afinal foram 74 durante esses 365 dias.

5º) Perdida

Marcou 2013, por que? Porque me fez acreditar na literatura brasileira, mas principalmente porque Carina Rissi criou o Mr. Darcy brasileiro

4º) Como Eu Era Antes de Você


Marcou 2013, por que? Porque me deu a maior ressaca literária do ano.

3º) A Elite

Marcou 2013, por que? Porque eu já amava o príncipe Maxon antes, mas depois desse livro virei fã dele de vez. Roendo as unhas até o lançamento de The One.

2º) O Destino do Tigre

Marcou 2013, por que? Porque foi o final da série de romance sobrenatural que eu mais amei nos últimos tempos, Collen Houck conseguiu fechar com chave de ouro.

1º) A Culpa é das Estrelas

Marcou 2013, por que? Porque passou na frente de todos os outros os livros e se tornou o livro que eu mais amo.
Resenha

Junto com a retrospectiva também vem as promessas de fim de ano, a primeira é que eu pretendo ler menos livros em 2014, por dois motivos: 1º Quero ler livros mais clássicos que dependem de mais tempo de leitura, já que esse ano li muitos best seller e nenhum clássico; 2º Porque vou estar fazendo TCC, então vou ter pouco tempo. Mas não irei deixar de ler meus queridos YA e o blog não ficará abandonado.

Espero que vocês tenham gostado das resenhas desse ano, e que eu tenha ajudado muita gente a decidir a leitura da vez, pra mim foi um enorme prazer resenhar os livros.

Até o próximo post!

25 dezembro 2013

TOP 5: Filmes Natalinos

É lógico que eu iria fazer um post temático do Natal, já que esse é o melhor e mais lindo feriado do ano. Mas eu estava em dúvida sobre o que exatamente falar, aí depois de pensar bastante decidi fazer um TOP 5 de filmes natalinos, porque todo ano eu faço um a sessão de filmes assim, então nada melhor do que falar dos filmes que eu mais gosto.

5º) Simplesmente Amor (2003)

Sinopse: O novo Primeiro-Ministro da Inglaterra (Hugh Grant) se apaixona por uma de suas funcionárias, Natalie (Martine McCutcheon). Numa tentativa de curar seu coração, um escritor (Colin Firth) parte para o sul da França e lá acaba se apaixonando. Karen (Emma Thompson) desconfia que Harry (Alan Rickman), seu marido, a está traindo. Juliet (Keira Knightley), que se casou recentemente, desconfia dos olhares e intenções de Mark (Andrew Lincoln), o melhor amigo de seu marido. Sam (Thomas Sangster) tem por objetivo chamar a atenção da garota mais difícil da escola. Sarah (Laura Linney) enfim tem a grande chance de sair com Karl (Rodrigo Santoro), por quem mantém uma paixão silenciosa. Billy Mack (Bill Nighy) busca retomar sua carreira como astro do rock. A vida de todos estes personagens se entrelaçam e são modificadas pela presença do amor em suas vidas.

"Simplesmente Amor" foi o filme natalino que eu assisti nesse Natal, ele não fala exclusivamente do Natal, mas tem a comemoração como pano de fundo de algumas estórias de amor. O filme é muito lindinho, daqueles que dão um quentinho no coração. Como todo filme natalino ele trás uma mensagem, de que devemos ser verdadeiros com nossos sentimentos, principalmente no dia 25.

4º) O Quebra Nozes (2010)

Sinopse: Viena, 1920. Mary (Elle Fanning) é uma solitária menina de nove anos. No Natal ela ganha de presente do Tio Albert (Nathan Lane) um quebra-nozes de madeira. Na mesma noite o boneco ganha vida e a leva para uma jornada em uma nova dimensão, onde seres inanimados se transformam em humanos e tudo tem proporções gigantescas.

Eu sou alucinada pela estória de o "O quebra-nozes" desde a infância, lembro que assisti várias animações contando a estória do ballet. Por isso quando vi que tinham feito uma adaptação moderninha da estória tive que assistir. Esse filme é bem diferente, mas é muito bonito e não deixou de mostrar a magia do conto original.

3º)Os Fantasmas de Scrooge (2009)

Sinopse: O Natal se aproxima e, como sempre, Ebenezer Scrooge (Jim Carrey) mantém seu desprezo pela data. Milionário e muito mesquinho, ele só pensa em dinheiro e não dá espaço para a emoção em seu coração, maltratando Bob Cratchit (Gary Oldman), seu fiel assistente, e ignorando seu sobrinho Fred (Colin Firth). Com a morte de seu sócio, Ebenezer recebe a visita de três fantasmas do Natal: do passado, do presente e do futuro. Cada um deles, levará o velho ranzinza para uma viagem que o ajudará a refletir melhor sobre sua vida passada e a escolha que fará para o futuro.

Acho essa animação sensacional, pena que ela não é tão conhecida. Um dos melhores filmes adaptações do livro de Charles Dickens, conseguindo recriar toda a moral que o autor quis. É perfeito para os dias de hoje, em que as pessoas são cada vez mais materialistas e egoístas.

2º) O Grinch (2000)

Sinopse: Um Grinch (Jim Carrey) que odeia o Natal resolve criar um plano para impedir que os habitantes da pequena cidade de Quemlândia possam comemorar a data festiva. Para tanto, na véspera do grande dia, o Grinch resolve invadir as casas das pessoas e furtivamente roubar delas tudo o que esteja relacionado ao Natal.

"O Grinch" não poderia faltar nessa lista natalina, é com todo certeza um dos melhores filmes natalinos. Jim Carrey é a personificação perfeita do Grinch, não tem como não amá-lo no filme. Fora que o descongelamento de um coração pelo Natal é a coisa mais linda de todas.

1º)O Estranho Mundo de Jack (1994)

Sinopse: Jack Skellington (Chris Sarandon) é um ser fantástico que vive na Cidade do Halloween, um local cercado por criaturas fantásticas. Lá todos passam o ano organizando o Halloween do ano seguinte mas, após mais um Halloween, Jack se mostra cansado de fazer aquilo todos os anos. Assim ele deixa os limites da Cidade do Halloween e vagueia pela floresta. Por acaso acha alguns portais, sendo que cada um leva até um tipo festividade. Jack acaba atravessando o portal do Natal, onde vê demonstrações do espírito natalino. Ao retornar para a Cidade do Halloween, sem ter compreendido o que viu, ele começa a convencer os cidadãos a sequestrarem o Papai Noel (Edward Ivory) e fazerem seu próprio Natal. Apesar de argumentos fortes de sua leal namorada Sally (Catherine O'Hara) contra o projeto, o Papai Noel é capturado. Mas os fatos mostrarão que Sally estava totalmente certa.

Já falei da minha paixão por esse filme no meu TOP 5 Tim Burton, é claro que não poderia deixá-lo de fora dessa lista. Ele é o meu queridinho por ser um dos filmes que eu mais assisti nas vésperas de Natal, sempre que passava na TV eu assistia. Essa estória mostra o encantamento de se conhecer o Natal, igual a uma criança que tem seu primeiro Natal, não tem como não apaixonar.

Espero que vocês gostem da minha listinha e quem sabe assistam algum dos filmes que citei nesse dia 25. Que todos tenham um ótimo Natal, cheio de comidinhas, família, presentes, amor e diversão.

Feliz Natal!
Até o próximo post!




23 dezembro 2013

Resenha: Como Eu Era Antes de Você

Desculpem o sumiço, estava em final de semestre e  com festas de fim de ano, mas prometo que o blog não ficará abandonado mais. A resenha de hoje é do livro "Como Eu Era Antes de Você", que entrou para lista de preferidos do ano.


Sinopse: "Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro."


Quando você lê a sinopse desse livro pensa que vai ser mais uma triste estória cheia de clichês, porém o livro de Jojo Moyes foge totalmente disso. Esse livro tem um enredo de superação sim, porém bem diferente do que você pode esperar. Não pensei que "Como Eu Era Antes de Você" ia mexer tanto comigo e que tornaria uma das melhores leituras de 2013.

A escrita de Jojo é muito gostosa (gosto de classificar como se fosse uma comida), ela flui e te envolve de tal maneira que nos faz devorar as páginas do livro sem perceber. Gostei tanto da maneira que ela escreve que já quero ler outras obras da autora.

Os personagens do livro são bem reais, algo que eu particularmente acho um ponto positivíssimo, isso faz com que o livro se aproxime mais do leitor. Gostei muito do livro, principalmente, porque a autora fez com que pela boca dos personagens saíssem verdades, eles dizem o que na realidade todos pensam, porém não pronunciam em voz alta.

Gostei muito das personagens principais, Will e Lou, são incríveis. Ela com todo seu jeito atrapalhado, acomodado e espalhafatoso, e ele rabugento, infeliz, crítico e irônico. Não tem diálogos entre eles que não sejam perfeitos. Porém achei que toda esse brilho ofuscou os outros personagens, como se os dois vivessem em uma bolha que desfocava a imagem dos que estavam em volta.

A construção do enredo é impecável e a maneira como Moyes vai revelando as estórias de Will e Lou é muito interessante. Ela não joga as informações, ela constrói tudo até chegar nos finalmente. O que é retratado no livro é polêmico, mas foi mostrado de uma maneira tão linda e leve, que foi amolecendo o coração e fazendo com que eu me perdesse em uma confusão de sentimentos.

Adorei tudo que aconteceu aos personagens, Lou tentando salvar o Will de si mesmo, e Will sendo cabeça dura. A construção do amor entre eles foi lenta e linda, fazendo com que eu torcesse para que finais felizes improváveis acontecessem. Quando o livro chegou ao fim eu fiquei com uma ressaca literária tão grande, que tive vontade de sentar em um cantinho e chorar.

Jojo Moyes é polêmica em seu livro, lhe jogando a verdade na cara e mostrando que nem tudo é um arco-íris de amor. Foi lindo, emocionante e divertido a leitura, por isso eu indico a todos que estejam em dúvida se deve ler ou não, porque eu tenho certeza que você vai vivenciar uma estória maravilhosa que deve ser lida.

Boa Leitura!
Até o próximo post!


07 dezembro 2013

Filme: Agora E Para Sempre

A dica de filme de hoje não é um filme que está nos cinemas, mas vale a penas procurá-lo para assistir, principalmente, se você gostou do livro "A culpa é das estrelas".


Sinopse: "Tessa é uma adolescente de 17 anos apaixonada pela vida. Diagnosticada com uma doença terminal, ela decide fazer bom uso de cada momento fazendo uma lista de tudo o que uma adolescente normal iria experimentar. Com a ajuda de uma amiga, ela começa a pôr em prática os itens da lista. Tessa passa a explorar um mundo novo e viver cada dia o mais intensamente possível. No entremeio, a garota se apaixona por Adam, item que não estava na lista, mas que se prova a mais revigorante experiência de todas."



Eu sei que filmes e livros de câncer geralmente são bem clichês, sempre contam estórias de pessoas que tem que lutar contra o câncer, que são guerreiras até o último instante, e sempre levam os espectadores a lágrimas. Mesmo com tudo isso eu continuo gostando de ler livros e filmes que retratam isso, mesmo com todos os clichês essas estórias nos dão boas lições de vida, e "Agora e para sempre" conseguiu tudo isso.

O filme conta a estória de Tessa uma garota de 16 anos que tem câncer e desistiu do tratamento, para poder realizar coisas que tem em uma lista. A lista da Tessa é muito engraçada, tem desde perder a virgindade a roubar uma loja. A interpretação de Dakota Fanning está impecável, sua atuação foi o ponto forte da estória, e Tessa consegue cativar.

O enredo é bem previsível, porém bom, gostei da maneira com que as coisas desenrolaram e foram mais reais (ou seja, não esperem finais felizes). Depois de ver o filme descobri que ele é uma adaptação de um livro chamado "Antes de morrer", que imagino que seja bem melhor.

O romance da estória é bonito, porém achei o Adam um pouco morto, faltou mais participação dele e uma atuação mais forte do ator. Acho que a parte do amor da família chega a ser mais bonito que o relacionamento amoroso em si, acho que esse é um dos motivos de eu ter gostado.

Outra coisa que gostei é que o câncer não rege a vida de Tessa, mesmo que ela tenha uma lista, ela quer fazer as coisas não só porque está morrendo, mas porque quer viver. A personagem principal também faz piada com sua situação (para os politicamente corretos é um abuso), e ás vezes está mais preocupada em ter um encontro do que com sua saúde em si.

O filme te arranca lágrimas sim, possuí alguns clichês, porém tem uma atuação de Dakota maravilhosa, uma trilha sonora ótima e diálogos interessantes. Se você gostou da maneira que John Green escreveu sobre o câncer, com certeza vai gostar de "Agora e Para Sempre".

Bom Filme!
Até o próximo post!

02 dezembro 2013

Resenha: Os Bridgertons: O Visconde Que Me Amava.

A resenha dessa semana é do segundo livro da série de romances históricos, Os Bridgertons, da Julia Quinn. Depois de narrar a estória de Daff a autora agora segue a vida de Anthony o primogênito da família.


Sinopse: "A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolve dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva.
Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela.

Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele.
Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração."

No segundo volume da série iremos conhecer mais o Anthony, que já foi apresentado em "O Duque e Eu". Mesmo sendo uma série, os livros não precisam necessariamente ser lidos em ordem, e você não precisa ler todos obrigatoriamente, todos os livros tem estórias finalizadas.

Quando Anthony aparece em "O Duque e Eu" nunca podemos imaginar que ele é perturbado pela ideia de nunca conseguir ser melhor que o pai, mas em "O Visconde Que Me Amava" descobrimos esse segredo, eu achei essa paranoia dele um pouco idiota, para mim essa foi a parte fraca da estória.

Anthony mesmo querendo ser como pai tem a capacidade de querer apenas uma esposa bonita que o satisfaça na cama, afinal ele é um libertino (preguicinha dele), do que um belo relacionamento amoroso como o dos pais (cadê a lógica?). Ai ele pensando só com a cabeça debaixo resolve cobiçar a mais linda da sociedade, que é a personagem mais entediante do livro. Fala sério! Ele é um cara tão divertido, intenso e quer casar com a paçoca da Edwina?! Mas ela tem um ponto positivo, sua irmã, a alma do livro de Julia Quinn: Kate, o nome é o mesmo que a megera domada de Shakespeare e não é só o nome que elas compartilham, Kate de Quinn também é selvagem.

Desde o primeiro momento de Kate e Anthony eu fui fisgada e acabei me encantando pelo livro. Os dois são tão divertidos, cabeças duras, uma química que queima as páginas. O único problema é o machão continuar cortejando a irmã paçoca. A autora pecou nisso, Kate é uma personagem tão interessante e bonita, merecia ser desejada a primeira vista.

Durante a leitura de 'O Visconde que me amava" percebi que Julia Quinn tem um padrão, os enredos de seus livros são basicamente iguais, isso não é um problema, porque as estórias são bem legais. Porém fico imaginando se for assim nos 8 livros, desistirei da série, por ser muito previsível.

Continuo indicando a leitura, por achar o livro bem gostosinho e divertido de se ler, as cenas de disputa entre Kate e Anthony são adoráveis. Se você gostas de romances açucarados, "Os Bridgertons" é sua série.


Boa Leitura!
Até o próximo post!
Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo