27 fevereiro 2017

Resenha: Entrevista com o Vampiro

Sinopse: "Este romance começa com um jovem repórter entrevistando Louis de Pointe du Lac, nascido em 1766 e transformado em vampiro por Lestat. Luis conta sua história aos ouvidos atentos do repórter, revelando segredos do mundo dos vampiros."

O vampiro sempre foi a criatura sobrenatural que mais me fascinou, desde muito novinha adorava os filmes que os retratavam. Entre "Drácula" e "Garotos Perdidos", "Entrevista com o Vampiro" era um o que eu mais amava, pela sua estética dark e misteriosa. Durante muitos anos assistia o filme incansável vezes, mas com o tempo ele se perdeu pra mim. Porém sempre senti uma necessidade em ler o livro da Anne Rice, afinal, a regra é clara, o livro sempre é melhor que o filme. E vários anos depois, finalmente, li o livro e fiquei encantada pelo universo criado pela autora.

"Entrevista com o Vampiro" é o primeiro livro da série "A Crônicas Vampirescas", e se incia com Louis, que depois de viver longos anos como vampiro resolve contar sua história a um repórter. Ele vai relatar desde sua transformação até o momento atual. O vampiro se arrepende de tudo que fez e vive uma vida de solidão e tristeza. Por isso a história tem um tom de melancolia e é muito sombria, afinal, ele acredita que é um ser maligno que tira vidas humanas.

Ao longo de seu relato Louis nos apresenta três personagens importantes, Lestat que é seu criador, Claudia o grande amor de sua vida e Armand que foi quem lhe deu respostas. Esses três vampiros tem características bem diferentes, mas ao mesmo tempo são bem parecidos. Lestat é um vampiro cruel e sarcástico, cheio de mistérios que evita contar. Claudia é uma mulher presa eternamente em um corpo de criança, mas muito cruel e fatal. Já Armand é um punhado de mistérios, mas ao mesmo tempo um porto seguro. E no meio deles está o atormentado Louis, que com certeza é o mais insuportável deles, porque tenta a todo momento fugir da sua natureza vampiresca, enquanto todos os outros tomaram aquilo para si.

A escrita da Anne Rice não é muito simples, mas entendo que ela utiliza de certo vocabulário para dar voz a Louis. Mas o livro também é muito pesado, fazendo questionamento religiosos, sobre o bem e o mal, sobre imortalidade e solidão. Então temos aqui um livro com vocabulário rebuscado e com assuntos bem difíceis, por isso a leitura demora a fluir, para que consiga absorver tudo aquilo, mas mesmo assim temos uma história incrível e um livro com vampiros muito maravilhosos. 

Não sei se lerei os demais livro de "As Crônicas Vampirescas", não por ser ruim, mas pelo tamanho da série. Mas fiquei extremamente tentada a conhecer mais do vampiro Lestat.

Até o próximo post.

26 fevereiro 2017

Playlist de Fevereiro

A Playlist de fevereiro vai começar com a minha mais nova paixão, que é o novo CD da Lady Gaga. Que saudades estava da mother moster, e mesmo ela tenha voltado com outro estilo em Joanne, o trabalho dela continua fantástico. Esse mês me apaixonei de vez por "Million Reasons" que é linda de viver, e acabei curtindo muito "John Wayne', que me lembrou muito "Me and You"

Lady Gaga - Million Reasons

Lady Gaga - John Wayne
Ainda no mundo do pop eu me deliciei com a parceria do ZAYN com a Taylor Swift em "I Don't Wanna Live Forever", que é trilha de Cinquenta Tons Mis Escuras (que eu ainda não fui assisti). 

ZAYN, Taylor Swift - I Don't Wanna Live Forever
Tiveram lançamentos de várias músicas novas e duas em especiais eu estou viciadinha, a primeira é "Shape of You"do Ed Sheeran, que tem uma delícia de batida. A outra é a super Black Mirror (kkk), "Chained To The Rhythm" da Katy Perry com o Slip Marley, que tem super vibe de música dos anos 80.

Ed Sheeran - Shape of You

Katy Perry - Chained To The Rhythm feat Skip Marley
A favorita do mês que até agora não me cansei de ouvir foi "Rockabye" do Clean Bandit com o Sean Paul, que além de ter uma letra e um clipe maravilhoso é tipo impossível não dançar. 

Clean Bandit - Rockabye feat Sean Paul
Mais um mês que The Chaismokers entra na playlist, afinal eles são a cara do verão. Dessa vez me apeguei a "Paris" que é aquela música da curtição.

The Chaismokers - Paris
Por fim, aquela música que foge do habitual, mas que é a minha cara, principalmente porque dois filmes que assisti recentemente tiveram ela como trilha sonora. Que é a Symphony No 7 - II. Sério, essa música é muito maravilhosa.

Bethoveen - Symphony No 7 - II

Até o próximo post!



20 fevereiro 2017

Resenha: The Heart of Betrayal

Sinopse: "Em The Heart of Betrayal — Crônicas de Amor e Ódio v.2, Lia e Rafe estão presos no reino barbárico de Venda e têm poucas chances de escapar. Desesperado para salvar a vida da princesa, Kaden revelou ao Vendan Komizar que Lia tem um dom poderoso, fazendo crescer o interesse do Komizar por ela.
Enquanto isso, as linhas de amor e ódio vão se definindo. Todos mentiram. Rafe, Kaden e Lia esconderam segredos, mas a bondade ainda habita o coração até dos personagens mais sombrios. E os Vendans, que Lia sempre pensou serem selvagens, desconstroem os preconceitos da princesa, que agora cria uma aliança inesperada com eles. Lutando com sua alta educação, seu dom e sua percepção sobre si mesma, Lia precisa fazer escolhas poderosas que vão afetar profundamente sua família... e seu próprio destino."

Depois de descobrir quem é o príncipe e o assassino que estavam atrás de Lia, agora ela e os dois chegaram até Venda. Porém, Lia e Rafe não querem permanecer no local e começam uma rede de mentiras para conseguir escapar das garras do Komizar. No entanto, Lia começa a entender os escritos que roubou em Morrighan e se aproxima dos vendados.

Se no primeiro livro temos uma insinuação de triângulo amoroso, nesse segundo livros vemos claramente que temos um casal principal e uma paixão platônica. Gostei que a autora não colocou Lia como uma garota dividida por dois amores e que só se preocupa com isso. Pelo contrário, a mocinha quer lutar por vingança e não perde a chance de negar ser apenas m objeto de poder.

A magia da série ainda é leve, mas no segundo livro começa a dar as caras. Porém eu ainda não considero uma grande história de fantasia, porque o dom é apenas uma insinuação que ninguém, nem mesmo Lia, sabe bem o que é.

A leitura é viciante e flui muito bem, mas não emociona, afinal, temos ainda muitas pontas soltas e o envolvimento dos personagens ainda não pode ser vivido realmente. Claro que temos personagens que se entregam com maior facilidade, como Kaden, que não tem medo de mostrar o que sente e contar seus segredos para Lia.

Gostei de "Thee Heart of Betrayal", mas acho que falta Mary E. Pearson dar uma delicadeza a história, para que possamos nos envolver mais emocionalmente. Claro, que  amei a forma com que ela criou uma personagem feminina forte e isso é um ponto bem positivo para a trilogia, mas quero ter reações físicas com "As Crônicas de Amor e Ódio". Tenho fé em "The Beauty of Darkness"

Até o próximo post!

13 fevereiro 2017

Resenha: Jantar Secreto

Sinopse: "Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles."

Finalmente Raphael Montes escreveu um novo livro, e como sempre temos uma história cheia de mistérios, reviravoltas e personagens odiosos. Exatamente, eu sempre tenho muita dificuldade em sentir empatia pelos personagens dele, mas em "Jantar Secreto" foi ainda pior, cada um pior do que o outro e olha que temos um grupo de amigos bem diversos.

Já comentei em outras resenhas de livro do Raphael que gosto muito da escrita dele, porém alguns pontos me incomodavam, mas nesse novo livro é possível ver claramente o amadurecimento da escrita dele. Claro, que a assinatura dele está bem ali, você pega o livro e rapidamente identifica que é dele, mas agora ele se afasta de clichês e de erros cometidos nos livros anteriores.

Pra mim um dos pontos fortes desse novo livro é que a história é muito trash, então ao mesmo tempo que tem toda aquela tensão, ele conseguiu fazer a gente rir. É tudo tão surreal ou até mesmo real, afinal, temos deep web para nos lembrar de que tudo é possível. Gosto muito de todo desenrolar e o final eu curti bastante, mas não vou negar que por meio das pistas consegui desvendar um certo mistério da história faltando 100 páginas.

Concluindo, o livro é viciante, tal como carne de gaivota, é divertido e digno de um filme de Quentin Tarantino (assista Os oito odiados). Ou seja, temos mais um livro incrível do Raphael e que pra mim foi o melhor até agora.

Até o próximo post!

06 fevereiro 2017

Resenha: Aconteceu Naquele Verão

No vídeo da TBR de fevereiro eu contei que gostei muito do primeiro livro de contos organizado pela Stephanie Perkins, "O Presente do Meu Grande Amor", e que estava ansiosa por "Aconteceu Naquele Verão". Porém se o primeiro foi uma deliciosa experiência, o segundo falhou miseravelmente.


Sinopse: "Doze histórias apaixonantes de doze grandes escritores, entre eles Cassandra Clare, Veronica
Roth e Stephanie Perkins.
Bem-vindos à estação mais ensolarada e apaixonante de todas! No verão, somos todos iguais, diz um dos personagens do conto “Mil maneiras de tudo isso dar errado”. No Brasil, nos Estados Unidos ou em qualquer lugar do globo, uma coisa é certa: no verão, nossos corações ficam mais leves, mais corajosos, impetuosos e confiantes — talvez por isso esta seja a estação perfeita para se apaixonar... e Aconteceu naquele verão é o livro ideal para quem adora histórias de amor.
Mas essa coletânea tem algo ainda mais especial. Algumas histórias têm uma pitada de estranheza, de mistério, um toque sobrenatural. Em “Cabeça, escamas, língua, calda”, a lagoa de uma cidadezinha é morada de um monstro marinho que só uma menina vê. No intrigante “Inércia”, dois grandes amigos há muito afastados vão se encontrar num quarto de hospital para uma última visita. No belo “O mapa das pequenas coisas perfeitas” é sempre dia 4 de agosto. Presos num loop temporal, dois jovens vão comprovar do que a força do amor é capaz.
A lição é simples: o amor não escolhe lugar nem hora para surgir. Coloque seus óculos escuros e abra sua cadeira de praia, porque neste verão você terá doze motivos para suspirar e se apaixonar."

Acredito que o grande problema que tive foi criar expectativas, porque entendo o verão como aquela estação do ano em que tudo é mais leve, divertido e que os romances são mais descontraídos. Porém a maioria dos contos de "Aconteceu Naquele Verão" são bem pesados e tristes, fiquei com aquela sensação de que as histórias não eram sobre amor, como me prometeram na sinopse.

Não vou dizer que não gostei de todos os contos, teve alguns que conseguiram me prender, e o engraçado foi que a maioria foi de autores que eu já conheço. Comecei o livro gostando muito do conto "Cabeça, Escamas, Língua e Cauda" da Leigh Bardugo, que vai contar uma história de realismo mágico, em que uma garota e um garoto investigam a aparição de um mostro em um lago. Depois me encantei com o conto da Stephanie Perkins, "Em noventa minutos, vá em direção ao North" que é a continuação do conto dela em "O Presente do Meu Grande Amor" e é uma delicinha. Depois Veronica Roth me surpreendeu com "Inércia" que é um conto muito Black Mirror, especificamente o episódio San Junipero, ou seja temos um conto muito lindo. A Cassadra Clare também fez um conto de fantasia muito divertido, gostei muito de "Nova Atração". E por fim o conto de um autor que não conhecia, mas que escreve muito bem, o Lev Grossman, que criou uma história muito fofa em "O mapa das pequenas coisas".

Mesmo gostando de 5 contos, não achei que a leitura me acrescentou e fiquei bem incomodada durante a leitura. Não sei se isso aconteceu, porque esperei algo diferente ou se não funcionou de verdade. Procurei uma leitura leve e divertida e encontrei quase um livro para se abandonar.

Até o próximo post!

05 fevereiro 2017

TBR de Fevereiro de 2017



Aconteceu Naquele Verão - Stephanie Perkins
Jantar Secreto - Raphael Montes
The Heart of Betrayal - Mary E. Pearson
Entrevista com Vampiro - Anne Rice

Até o próximo post!
Copyright © 2014 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo